As melhores leituras de 2017

Por Fephs Lima

Este foi um ano bem conturbado, bem difícil em relação a tempo. Mesmo assim, consegui ler algumas obras e expandir mais um pouco a minha visão sobre alguns autores e gêneros.

Confira abaixo as cinco melhores leituras deste ano:

5º Lugar – O Doce sabor da Vingança, de Paula Toyneti Benalia:

12xp-catperson-master768-v2

Não sou o leitor que gosta de romances, por achar que muitas vezes eles sejam tão utópicos e fantasiosos a ponto de se tornarem uma ficção lúdica. Mas foi por meio de uma parceria com a autora Paula Toyneti Benalia, tive a oportunidade de conhecer o livro O Doce Sabor da Vingança.

O Doce Sabor da Vingança conta a história de Julie, uma garota que sofreu uma ilusão amorosa em seu tempo de escola. Além disso, se sentiu traída pela sua melhor amiga. E para piorar ainda mais o quadro, assim que chega em casa, Julie encontra a sua avó morta, que foi quem cuidou dela.

Anos se passam e ainda carregando a raiva em seu coração, decide se vingar do garoto por quem se apaixonou e pela sua antiga melhor amiga. Após morar um tempo no exterior, Julie volta para o Brasil e quer começar a vingança por Joe, o garoto que destruiu seus sentimentos. Entretanto, após conhecer mais de perto um dos mais importantes empresários, Julie acaba se envolvendo com ele mais do que esperava, tornando difícil a escolha de seguir o coração apaixonado ou o amargurado.

A leitura é bem fluida e pouco cansativa. A obra me prendeu rapidamente e me surpreendeu, já que se tratara de um romance. Mesmo assim, alguns pontos deixaram a desejar, como a constante apelação emocional da protagonista e o enredo em si, que por mais que seja fácil se pegar, ainda me remeteu a um roteiro de ‘Malhação’, tornando depois tudo muito bem e tudo muito bom.

A série é seguida por mais dois livros: O Doce Sabor da Justiça e O Doce sabor do Desejo.

4º Lugar – Eu, o Desaparecido e a Morta, de Jenny Valentine:

12xp-catperson-master768-v2

Este livro surgiu de modo simples na minha estante. Se resume a uma promoção de dez  reais em um supermercado. Mesmo assim, comprei a obra sem ter muitas esperanças, mas me enganei.

O livro fala sobre o jovem Lucas, que em uma madrugada qualquer, voltando da casa de um amigo, encontra uma urna em uma agência de Táxi. Tomado pela curiosidade, Lucas descobre que a urna, com as cinzas de uma senhora nomeada Violet Park, fora esquecida durante uma corrida. Decidido a encontrar o dono, Lucas decide pegá-la para si. Lucas mora juntamente com a mãe e mais dois irmãos. Seu pai desapareceu há alguns anos e nunca mais deu notícia ou voltou, mas o garoto acredita que ele ainda vai voltar e que há uma explicação para ele nunca ter retornado. O que ele não esperava, é que as histórias de Violet Park e seu pai se interligavam.

A obra realmente é muito boa e me surpreendeu. Ela me prendeu de tal forma que a leitura durou somente dois dias, mesmo com escassez de tempo. O suspense da obra é maravilhoso e bem equilibrado. O final me deixou extasiado por um bom tempo, refletindo e sorrindo sobre o que eu acabara de ler. Se tem um defeito, é o fato de ser uma história curta.

3º Lugar – O Vilarejo, de Raphael Montes:

12xp-catperson-master768-v2

Livro curto indicado por alguns amigos… Me pareceu uma obra interessante assim que li a sinopse.

A obra une 7 contos, um para cada personagem morador do vilarejo, que está isolado do resto da sociedade por conta da tempestade de neve dos últimos dias, que explorou ainda mais o pior de todos os residentes. Para cada história, um pecado capital e um demônio responsável.

A obra é curta. Chega a ser surpreendente o modo os contos vão se ligando um ao outro, trazendo sentido ao que estava acontecendo no vilarejo. O livro conta com imagens que complementam ainda mais cada conto. A obra é tão fluida e nos prende tão rápido que li duas vezes somente esse ano, com a segunda leitura durando somente menos de quatro horas.

2º Lugar – Morte no Nilo, de Agatha Christie:

12xp-catperson-master768-v2

A dama do crime realmente não me decepciona. Suspeito para falar dos livros da Agatha, sou um admirador dos suspense da escritora. Presente de uma antiga professora de inglês, a obra se trata de mais um mistério que foi posto nas mão de Hercule Poirot.

Linnet Ridgeway é uma moça rica, dona de uma grande herança. Após se casar com Simon, ex-noivo de uma amiga, a jovem vai passar a sua lua de mel em um cruzeiro no Nilo. Porém, um dia o corpo de Linnet é encontrado em seu quarto, após ser assassinada. Poirot, que estava simplesmente aproveitando para tirar férias, teve esse mistério para desvendar.

O livro é rico de informações e muito suspense. Durante toda a leitura, ficamos presos às nossas suspeitas e vamos criando nossas teorias que melhor correspondessem a tudo que estava acontecendo. Mesmo assim, acredito que todas as teorias vão por água abaixo já que o final é surpreendente.

1º Lugar – A Playlist de Hayden, de Michelle Falkoff:

12xp-catperson-master768-v2

Este  é um livro que eu já tinha em minha estante há uns dois anos. Mesmo assim, sempre colocava alguma outra leitura a frente dele e não começava a lê-lo. Assim que terminei a leitura, me arrependi por todo o tempo que passei sem conhecer essa obra.

O livro conta sobre a morte de Hayden, um jovem que se suicidou e foi encontrado morto pelo seu melhor amigo Sam. Antes de sua morte, Hayden deixou uma playlist ao lado de sua cama e um bilhete “Para Sam. Ouça. Você  vai entender”. Sam tem em suas mão um mistério. Ele deve entender o que motivou Hayden a tomar essa decisão.

O livro é bem envolvente e mesmo que a playlist perca o seu destaque, todo o resto do enredo compensa. O final é maravilhoso. É um livro que, após a leitura, te fará repensar em muitas coisa e rever talvez alguns conceitos que carrega com si.

2 comentários em “As melhores leituras de 2017

  1. O mais legal de Morte no Nilo é o aspecto autobiográfico do livro. Ele foi escrito logo após Agatha Christie ter sido abandonada pelo primeiro marido, Archibald Christie, que estava tendo um caso com uma amiga dela. Eu gostei muito da adaptação que fizeram pro cinema. O melhor Hercule Poirot do cinema é o desse filme, Peter Ustinov. 🙂

    Curtir

    1. Caramba, Cassia, essa história de ter sido abandonada pelo marido eu não sabia. Que legal. Eu realmente me apaixonei pela obra. Ainda não vi a versão em filme, mas estou agora à espera da nova filmagem de Morte no Nilo. ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s