Resenha: Orgulho e Preconceito, de Jane Austen – por Paula Ramos

Por Paula Ramos

Sinopse: 

Na Inglaterra do final do século XVIII, as possibilidades de ascensão social eram limitadas para uma mulher sem dote. Elizabeth Bennet, de vinte anos, uma das cinco filhas de um espirituoso, mas imprudente senhor, no entanto, não precisará de estereótipos femininos para conquistar o nobre Fitzwilliam Darcy e defender suas posições. Neste livro, Jane Austen faz também uma crítica às mulheres na voz dessa heroína.

Será que um amor pode prevalecer diante de tanto orgulho e preconceito?

O livro Orgulho e Preconceito foi escrito por Jane Austen, lançado em 1813. É um romance de época que trata a história de dois casais.

Jane e Elizabeth são melhores amigas e as irmãs mais bonitas e educadas dentre as cinco filhas. Enquanto Elizabeth possui um gênio difícil e gosta de se aventurar, Jane é mais delicada e gosta de ver tudo com mais otimismo.

Assim como as irmãs Bennet, Charles e Darcy também tem suas diferenças que não os impedem de construir uma sólida amizade. Darcy é sistemático e gosta de cumprir regras, diferentemente de Darcy, que possui um bom coração.

Contudo, a vida dessas personagens mudam completamente quando Charles e Darcy chegam na cidade das irmãs. Jane e Charles logo se apaixonam, enquanto Elizabeth e Darcy lutam para não se apaixonarem, pois o orgulho e o preconceito não deixa.

Este livro tinha como título inicial “Primeiras Impressões”, justamente para justificar as primeiras impressões que Elizabeth teve de Darcy e vice-versa, que mudara com o passar do tempo.

Sou suspeita em falar, porque amo romance de época. Esse livro é maravilhoso e tem assuntos que até hoje é abordado. O preconceito que Darcy tem por causa da família de Elizabeth é um deles por exemplo.

Darcy também conseguiu reverter o seu erro e juntar o casal Jane e Charles novamente que se separaram por intrigas dele. Esta foi uma das partes que mais gostei, onde notamos que todos nós podemos mudar.

O livro deveria ter um final diferente, queria ter visto o casamento de Jane e Charles e de Elizabeth e Darcy. O castigo de Wikiham por fugir e tirar a virgindade da irmã mais nova de Elizabeth sem se casar (naquele tempo, uma mulher que perdesse a virgindade sem se casar era tida como meretriz e impura, ninguém se ousaria a cortejá-la). Um castigo para a irmã mais nova de Elizabeth seria bem vindo e para sua mãe que, mesmo amando suas filhas, só pensa em dinheiro.

Se fosse do meu jeito, Wikiham iria para a cadeia, a irmã mais nova de Elizabeth iria ficar sem se casar com ninguém, “ficar para titia” e sua mãe, como ela era sua filha preferida, iria perceber que o amor vai além do dinheiro, mesmo se o pai insistisse em deixar ela no cabaré, ela não deixaria, o amor de mãe supera tudo.

transferir.jpgOrgulho e Preconceito – Jane Austen
Editora: Diversas
Lançamento: 1813
Páginas: 400 (Landmark)

Nota: 5/5   5 estrelas

Preço mínimo: R$ 13,00 (Amazon)

 

Foto: Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s