Resenha: Esconjuro, de Giselle Melo – Por Fephs Lima

Por Fephs Lima

Sinopse:

Uma família desfeita por um homem possessivo, obriga que a jovem tenha de correr para casa, a fim de não esquecer seu passado. Por quase uma década, ela e mãe vivem escondidas em uma cidadezinha pacata, que só se anima duas vezes por ano. Mesmo na lonjura, a desventura as encontra. Revoltada por suas perdas, Catarina busca um modo de acabar com tal revés, mas se descobre herdeira de um povo que vive sua sorte em cada época do ano em lugar diferente.Reviram-se e desvendam-se segredos de família na tentativa de aniquilar o infortúnio. Será que, após tantos anos de infelicidade, seria possível voltar a viver?

Me sinto satisfeito quando me surpreendo com algum livro. Sem clichês. Sem nada previsível. Eis a obra que me surpreendeu e, desta vez, falo de um modo positivo.

Giselle Melo disponibilizou um exemplar para a equipe do Arena Literária e este mega presente assumiu não somente um espaço em minha estante, mas também em meu coração.

Seguinte, assim que a leitura começa, conhecemos Catarina, uma jovem garota que mora em uma vila com sua mãe. Seu pai desapareceu e, por algum motivo que descobrimos no desenrolar da obra, ela não se relaciona amorosamente com ninguém, baseando-se em seu passado, que também não conhecemos tão bem.

No entanto, um corajoso rapaz, chamado Ricardo, decide insistir em conquistar a mais nova moradora da vila, que tem uma vida misteriosa e instigante. Catarina tenta não se envolver, até mesmo sua mãe, Rosa, a aconselha a não se aproximar tanto do rapaz, não que ela seja mulher chata, ela só queria o bem da filha e, por incrível que pareça, também do rapaz.

“Ah, mas como assim, Fephs? É só um namoro… Normal!”

Exato! Deveria ser apenas um namoro normal de um simples casal apaixonado em uma simples vila. Contudo, a maldição que a menina carrega a impede de fazer as coisas mais simples e ordinárias de sua vida.

“Como assim maldição?!”

Beleza. Vou explicar. Rosa se apaixonou quando era mais nova por um rapaz chamado Diogo, de família cigana. Contudo, o pai de Rosa, relutante por conta do relacionamento, não permitia que a filha se aproximasse do jovem, impedindo que ela fosse feliz com seu amor. Por isso, quando estava grávida, decidiu fugir.

Seu pai, um feiticeiro, jogou uma maldição na família, o chamado Vento Cantante, que revira a casa e invade a privacidade física e psicológica da família, tirando deles suas memórias. Diogo foi o mais atingido, a ponto de simplesmente sumir do mapa, sem ninguém ter a menor ideia de seu paradeiro, ficando apenas Catarina e Rosa sozinhas com a maldição para tomar conta.

Agora voltando para os namoros de Catarina. Imagina só a situação da garota: namorar um rapaz, quando a qualquer momento um vento pode vir e, além de te deixar exposto aos outros sobre sua maldição, pode fazer ela esquecer até mesmo do seu amado. Realmente não se trata de uma situação fácil.

Então ficam aí as dúvidas: Ricardo ficará com Catarina? A maldição será quebrada em algum momento? Fephs amou a obra?

A última dúvida eu posso tirar agora mesmo.

Então, quando se trata de romances, eu sou meio chato, é um gênero que não me agrada muito, mas me dou a oportunidade de ler e agradeço a possibilidade de ler livros como Esconjuro. Não se trata de um mero romance. O amor e namoro em pauta no livro é poético, é puro, é uma delícia de acompanhar.

Além disso, tem a questão da maldição, que traz aquele suspense, aquela apreensão e aquela vontade de abraçar Catarina e desejar que tudo vai ficar bem enquanto o problema não se resolver, se é que resolve.

É incrível como cada personagem é muito característico. Catarina é a menina presa pela maldição com vontade de liberdade e que anseia viver os seus mais intensos romances; Rosa, que se sente culpada pela atual situação da família e se esconde como pode e recorre à religião, as bisavós de Catarina, uma cigana amável e prestativa e outra carinhosa e com saudade da neta que teve de estar longe todo este tempo.

Os cenários do livro são muito bem descritos e pude visualizar bem a cada cena, me situando em cada local que nos são apresentados. Isso me deixou mais a vontade para ler, sem medo de continuar a leitura por medo de não ter compreendido algo importante.

Gostaria de não poder reclamar de nada, contudo, um problema encontrado no livro me incomodou bastante. A autora aparentemente não soube dividir qual era o seu modo de escrita, já que muitas vezes nos deparamos com um livro em primeira pessoa e, simultaneamente, em terceira pessoa lindando, por exemplo, com verbos ‘viu’ e ‘dormi’ para a mesma personagem.

Indico a leitura e vale muito a pena acompanhar as aventuras da doce, sonhadora e jovem Catarina.

Resultado de imagem para livro esconjuroEsconjuro – Giselle Melo
Editora: Autografia
Lançamento: 2017
Páginas: 198

Nota: 4/5
⭐⭐⭐⭐

Preço mínimo: R$ 15,90 (Saraiva)

 

Foto de Capa: Fephs Lima
Foto do Texto: Divulgação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s